MAIS SOJA - Céleres e FCStone estimam produção recorde de milho safrinha, e Agrosecurity recomenda cautela

MAIS SOJA - Céleres e FCStone estimam produção recorde de milho safrinha, e Agrosecurity recomenda cautela

07 de abril, 2020

As consultorias Céleres e INTL FCStone estimam recorde na segunda safra da milho (2019/20), apesar das preocupações com o clima seco em algumas áreas. Já a consultoria Agrosecurity recomenda cautela.

Segundo a Céleres, o milho safrinha deverá registrar recorde de de 73.5 milhões de toneladas. O bom desempenho, para a consultoria, está relacionado à umidade adequada do solo em Goiás e Mato Grosso, e a uma possível reposição nos níveis de chuva em abril no Paraná e Mato Grosso do Sul.

Acima dessa estimativa, a INTL FCStone prevê produção recorde de 73.9 milhões de toneladas, também considerando o cenário de chuvas em abril.

“Nessa primeira quinzena ou até o dia 20, há previsão de chuvas em todas as regiões produtoras tanto de milho safrinha quanto algodão, café… e isso possibilita condições excepcionais para o desenvolvimento das lavouras”, disse a analista da consultoria, Ana Luiza Lodi.

Fora da janela

Já o sócio-diretor da Agrosecurity e ex-diretor da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Fernando Pimentel, contesta as previsões anteriores.

“Acho muito prematuro começar a subir a estimativa de produtividade, que está provavelmente baseada numa boa condição da safrinha em Mato Grosso. No entanto, há outras regiões que entraram fora da janela ideal de plantio. Por isso, a minha estimativa é de 71.5 milhões de toneladas”.

Pimentel disse que o desempenho em Mato Grosso “é muito bom, houve chuvas, mas 20% do milho foi plantado fora da janela ideal”. Já o Estado de Goias, segundo ele, “teve cerca de 40% do milho semeado fora da janela”. No Paraná, afirmou, apesar de o milho também ter sido plantado fora do período, “é um estado menos problemático”.

“Houve um pouco de risco de falta de chuva, mas agora deu uma melhorada. Mesmo assim, o milho foi plantado um pouco fora da janela, mas neste caso a chuva chega em meados ou final de abril”.
Por fim, Pimentel reconheceu que em Mato Grosso do Sul “a situação é complicada, há muito atraso, a safrinha entrou bem mais tarde e com redução de tecnologia”.

“Nessa época é necessário água, temperatura ideal, sem excessos de calor ou frio. Como é uma safra plantada um pouco fora de seu padrão normal, não é possível se basear numa produtividade como a do ano passado, que foi excelente”, concluiu.

Safra total

Por sua vez, a Safras & Mercado, em recente estimativa, informou que a safra total de milho 2019/20, incluindo a colheita de verão, deverá atingir 105,8 milhões de toneladas, contra a projeção de 104,75 milhões de toneladas divulgada no mês passado.
A consultoria elevou a estimativa de colheita do cereal cultivado na primeira safra, para 23. 2 milhões de toneladas, enquanto reduziu a perspectiva da segunda safra, a safrinha, para 73.8 milhões de toneladas.

Fontes: Mais Soja, Reuters, Agrolink, Notícias Agrícolas e Agrosecurity Foto: Divulgação

 

Comente pelo Facebook

Proluv
Top