IMEA - Comercialização da soja não seguiu o mesmo ritmo acelerado do mês anterior e avançou em maio

IMEA - Comercialização da soja não seguiu o mesmo ritmo acelerado do mês anterior e avançou em maio

09 de junho, 2020

A comercialização da soja não seguiu o mesmo ritmo acelerado do mês anterior e avançou em maio 3,67 p.p. para a safra 19/20. Com isso, os negócios realizados alcançaram 92,65% da produção. Já para a safra 20/21 o progresso foi de 4,27 p.p., totalizando 41,52% do volume esperado para a próxima temporada.

A evolução das negociações teve forte influência do dólar, que valorizou 5,97% (Ptax) na média mensal e chegou a estar próximo de R$ 6,00/US$ em maio, o que impulsionou os preços da soja em MT. Porém, o produtor acreditou que preços maiores ainda estavam por vir e, como já estava com grande parte da soja vendida, resolveu esperar.

Por outro lado, a demanda pela soja brasileira vinda da China acabou abrindo oportunidades de negócios. Uma das justificativas para isso deve-se a estratégias do governo chinês de repor estoques da oleaginosa, que ficou barata para o país asiático com o dólar valorizado.

Confira agora os principais destaques do boletim:

• Apesar de as cotações em Chicago terem aumentado nos últimos dias, o Indicador Imea MT recuou 1,02% na média da última semana, movido, principalmente, pela queda do dólar ante o real.

• O indicador de preço paridade exportação registrou queda de 0,84% na semana, influenciado pelo recuo do dólar.

• O prêmio em Santos subiu 35,29% na última semana devido à alta demanda externa pela oleaginosa brasileira, reflexo também das fortes exportações de soja do país.

• Já o dólar desvalorizou 3,94% na média semanal, cotado a R$ 5,16/US$. Os principais motivos para o movimento envolvem a volta do otimismo com a economia mundial e os números de geração de emprego nos EUA, que surpreenderam o mercado na última semana.
Exportação é norte, Importação é sul:

Mato Grosso exportou 14,18 mi de t de soja entre jan-mai de 2020 (Secex), valor recorde! Aliadas à alta demanda pela soja brasileira, as exportações de MT vêm sendo facilitadas com as melhoras logísticas recentes. Com o término da BR-163, a saída de soja pelos portos do arco norte, principalmente via Miritituba-Barcarena, aumentou nos últimos anos. Já as exportações pelo arco sul recuaram.

Assim, pela primeira vez na história, exportou-se mais soja pelo norte do que pelo sul (considerando o período de jan. a maio). Além disso, outro avanço na logística vem auxiliando no comércio internacional brasileiro: os investimentos na Ferronorte, que impulsionaram a vinda de fertilizantes pelo porto de Santos, mantendo bom fluxo de soja saindo de MT via ferrovia.

Dessa forma, salienta-se a importância do recente progresso logístico no país, através de investimentos públicos e privados que estão possibilitando o escoamento de uma safra recorde.

Fonte: Imea Foto: Divulgação

 

 

Comente pelo Facebook

Proluv
Top