AGROLINK - Preço da soja brasileira volta a subir

AGROLINK - Preço da soja brasileira volta a subir

19 de dezembro, 2019

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a quarta-feira (18.12) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação subindo 0,42%, para a média de R$ 87,69/saca (contra R$ 87,32/saca do dia útil anterior).

“A queda de 0,13% do dólar no Brasil, somada à queda de 0,06% da soja em Chicago e à ausência da China não anulou o sentimento de cobertura de algumas Tradings, que tinham que cobrir posições antigas a preços maiores. Isso permitiu que os preços oferecidos pelos compradores sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados aumentassem”, apontam os analistas da T&F Consultoria Agroeconômica.

No interior, o preço médio também subiu, cerca de 0,12%, para R$ 82,85/saca, contra R$82,51/saca do dia anterior. Com isto, o acumulado do mês reduziu a queda para 2,63% nos portos e para 2,39% no interior, segundo pesquisa do Cepea.

No mercado físico do Rio Grande do Sul, diz a T&F, houve mais pressão das indústrias, e por isso os preços subiram R$ 0,50/saca: as indústrias aumentaram para R$ 87,00 em Passo Fundo e um real e trinta centavos para R$ 86,80 em Ijuí, enquanto o preço do porto recuava para R$ 89,50/saca para dezembro. No Paraná houve pequenos negócios de 1.500 toneladas a R$ 80,25 para 30/04 no interior do estado e 2.500 toneladas a R$ 88,50, para 30/03/2021 posto sobre rodas em Paranaguá.

Clima

De acordo com os mapas climáticos analisados pela ARC Mercosul, as previsões meteorológicas recentemente atualizadas são semelhantes aos modelos passados: “O padrão estabelecido sobre o Nordeste do Brasil continua oferecendo chuvas escassas e temperaturas elevadas até a última semana de dezembro. Por outro lado, precipitações entre 15-75mm são previstas para todo o estado de Santa Catarina, São Paulo, sul de Minas Gerais, sul de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e todo o Paraguai até o dia 23 de dezembro”.

“Nestas mesmas regiões, as temperaturas sofrem uma redução temporária, com queda média de 2 graus Celsius durante o mesmo período. A massa de ar quente estacionada sobre a Bahia começa a perder forças nestes próximos 4 dias, dando espaço para a volta das chuvas. Apesar de alguns problemas pontuais, o desenvolvimento da safra no Brasil e Argentina segue adequado”, concluem os analistas da ARC Mercosul.

Fonte: Agrolink Foto: Divulgação

 

 

Comente pelo Facebook

Proluv
Top