BIOTRIGO - Desafios do pré e pós-colheita e reflexos na qualidade do grão do trigo

BIOTRIGO - Desafios do pré e pós-colheita e reflexos na qualidade do grão do trigo

11 de abril, 2019

Cerca de 400 pessoas participaram da 8ª edição do Seminário Técnico do Trigo do Paraná, nesta quarta-feira, 10 de abril. O evento reuniu todos os elos da cadeia de produção de trigo em Campo Mourão/PR - uma das mais tradicionais regiões produtoras do cereal no Estado, com cerca de 10% da área e da produção. Participaram agricultores, produtores de sementes, cerealistas, técnicos e moinhos dos estados do Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Goiás e Paraguai. APASEM, entidade que representa o setor de semente no estado também esteve presente no evento.

Os efeitos da temperatura e do tempo de secagem dos grãos na qualidade da farinha foi o tema da palestra da supervisora de qualidade industrial da Biotrigo, Kênia Meneguzzi. Em sua explanação citou os primeiros dados de uma pesquisa iniciada na safra de 2018 da Biotrigo em conjunto com o Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Campus de Ibirubá, que testou diferentes tempos e temperaturas de secagem dos grãos e os efeitos na qualidade da farinha. “Um processo de secagem mal feito compromete a qualidade tecnológica da farinha, porque altas temperaturas ou exposição excessiva ao calor desnaturam as proteínas presentes no grão e os efeitos são percebidos na massa, que perde extensibilidade e força”, explicou. Um dos testes realizados é a alveografia, que permite analisar características como Força de Glúten (W), Tenacidade (P), Extensibilidade (L) e a relação entre Tenacidade e Extensibilidade (P/L).

“A condução inadequada desta importante etapa, pode comprometer a comercialização dos lotes de trigo, pois limita a utilização dos grãos pela indústria. É importante saber que o trigo é diferente da soja, por exemplo, que tolera temperaturas maiores. Para o trigo, o controle do secador e a temperatura da massa de grãos são imprescindíveis para que a qualidade entregue pela genética e construída no campo cheguem até a indústria”, concluiu

Outros temas debatidos no encontro foram Giberela do trigo, Cuidados no pós-colheita, Diagnóstico e impactos do pousio “sujo”, Trigo recordista em qualidade industrial, Trigo Clearfield e Posicionamento técnico para safra 2019.

Fonte: Biotrigo/Assessoria Apasem

 

Comente pelo Facebook

Proluv
Top